Para sugestões, comentários, críticas e afins: sapinhogelasio@gmail.com

terça-feira, 25 de Novembro de 2014

Microalgas de Pataias despertam interesse das arábias

A notícia na Gazeta das Caldas
http://www.gazetacaldas.com/44384/producao-de-microalgas-de-pataias-interessa-a-arabia-saudita/

Produção de microalgas de Pataias interessa à Arábia Saudita

O ministro das Pescas do Reino da Arábia Saudita, Jaber Al Sheri, esteve no concelho de Alcobaça acompanhado do secretário de Estado das Pescas, Manuel Pinto de Abreu, para conhecer a tecnologia de produção de microalgas desenvolvida na Algafarm do parque empresarial da Secil, em Pataias.
A visita resultou do interesse daquele país em importar a tecnologia da Algafarm, “que é única”, destacou Hermínio Rodrigues, vice-presidente da Câmara de Alcobaça.
A Algafarm, que labora desde 2007, aproveita o dióxido de carbono produzido pela fábrica de cimentos da Cibra como alimento para as microalgas, que consomem o carbono e libertam oxigénio através do processo de fotossíntese. A empresa, que é a única a trabalhar neste sector na Península Ibérica, estuda a produção de biocombustíveis a partir de microalgas e estima atingir no próximo ano um volume de vendas na ordem dos 6 milhões de euros. Para além dos combustíveis, as algas são aplicáveis nos ramos da alimentação, estética, cosmética e saúde.
A Algafarm já venceu, em 2009, o Prémio Nacional de Inovação Ambiental e foi segunda no European Environmental Press Award, em Paris.
Paulo Inácio, presidente da Câmara de Alcobaça, destacou ainda que a presença de Jabel Al Sheri representou também “uma oportunidade para falarmos de projectos nossos, para ver se entusiasmamos investidores internacionais”.
A visita do ministro saudita realizou-se no âmbito da Biomarine Business Convention, que decorreu na semana passada em Cascais.

CDS comemora 40 anos em Pataias

A notícia na edição do jornal on-line Tinta Fresca
http://www.tintafresca.net/News/newsdetail.aspx?news=e67fdec9-65e7-49f4-9a86-67a0eac9d7bd&edition=169

Jantar em Pataias juntou cerca de 200 pessoas
Paulo Portas leva boas notícias às famílias em jantar comemorativo dos 40 anos do CDS

Cerca de 200 pessoas marcaram presença no jantar comemorativo dos 40 anos da Distrital de Leiria do CDS-PP, que se realizou no dia 21 de novembro, na Quinta da Boubã, em Pataias, no concelho de Alcobaça, com a presença do líder do partido Paulo Portas. Na ocasião, o presidente da concelhia de Alcobaça, Luís Querido anunciou a criação do Conselho de Opinião do CDS de Alcobaça, “composto exclusivamente por cidadãos não militantes do partido”. Por sua vez, Paulo Portas encerrou a sessão, distribuindo boas notícias sobre o aumento do salário mínimo nacional, o desemprego, o IMI, o turismo e a economia.
A noite começou com Luís Querido a agradecer a Paulo Portas “o total apoio que tem manifestado a esta Concelhia de Alcobaça, e à Distrital de Leiria do CDS”. O líder da concelhia de Alcobaça anunciou que “a concelhia de Alcobaça recebeu novos militantes e com a sua diversidade temos sabido mostrar que ouvir, partilhar e discutir ideias são uma condição essencial para se fazer bem”, adiantando que “precisamos de todos os que queiram ajudar porque não há tempo para ficar à espera”, “para construir uma alternativa governativa que seja reconhecida, junto dos portugueses, pela sua diferença e singularidade”.
Desta forma, Luís Querido anunciou que “o CDS/PP abrirá as suas portas a todos os que queiram contribuir desinteressadamente e manterá o seu projeto suprapartidário para o concelho”, daí que o partido tenha decidido criar o “conselho de opinião do CDS de Alcobaça, composto exclusivamente por cidadãos não militantes do partido, com destaque no nosso concelho. Este é um sinal claro que, nesta casa, temos a humildade de reconhecer que não sabemos tudo e que levamos a sério a premissa da abertura ao debate político”, afirmou.
O líder da concelhia de Alcobaça agradeceu ainda a “a todos aqueles que durante os 40 anos de vida do CDS/PP tiveram ou estão em cargos do partido e cargos políticos” e, a este propósito, a Concelhia de Alcobaça homenageou Luís d’Avó Ribeiro, “cuja entrega e disponibilidade para este partido foram contagiantes.”
A homenagem ao empresário de Turquel contou com a passagem de um vídeo com fotografias do homenageado, que recebeu ainda uma pintura com o seu retrato. Após o jantar, o histórico militante do CDS mostrou-se muito surpreso com a homenagem, agradecendo e lembrando que todo “o trabalho e dedicação” que teve “foi sempre em prol das pessoas e do concelho de Alcobaça”. Após esta homenagem, também o líder da distrital de Leiria do CDS/PP, Manuel Isaac aproveitou a ocasião para homenagear todos os eleitos no distrito nas listas do partido.
Paulo Portas salientou as homenagens feitas aos históricos do partido e até brincou afirmando que nesse dia tinha proposto mais dois militantes para o partido.. O líder dos democratas-cristãos reconheceu que “no distrito de Leiria sinto-me sempre em casa. É um dos distritos mais competitivos, modernos e empreendedores e com sentido de futuro que Portugal tem”.
O vice-primeiro-ministro iniciou o seu discurso abordando os números do desemprego em Portugal. Segundo o ministro, “os números de outubro do desemprego são alentadores. O desemprego desceu, há menos 90 mil pessoas inscritas no desemprego que no mês passado e menos mil casais em que ambos os elementos estão no desemprego no último mês”. Segundo o ministro, “Portugal reduziu, em menos de dois anos, quatro pontos percentuais em termos de desemprego”, tendo passado de 17%, em 2012 para os atuais 13,1%.
Outro dos assuntos abordados por Paulo Portas foi o IMI – Imposto Municipal sobre Imóveis. Segundo o líder centralista, “todos os municípios sob o governo do CDS/PP terão que ter o IMI no mínimo ou em valores muitos reduzidos”. Além disso, “as autarquias onde o CDS é oposição, este deverá fazer propostas para procurar descer o IMI”, ou seja “onde governamos sozinhos é IMI no mínimo, onde CDS governa em coligação procurar fazer reduções ou manter em valores mínimos e onde o CDS é oposição e quiserem aumentar, é voto contra”, afirmou.
Paulo Portas referiu ainda que pela primeira vez em 2015, “iremos diferenciar o IMI nas famílias com mais descendentes a cargo e que obviamente têm mais despesas”, mas “sem prejudicar as restantes famílias”. Para o vice-primeiro-ministro “há sempre um esforço possível a fazer na despesa para manter os valores mais baixos”.
No tema exportações, Paulo Portas recordou que a região de Leiria é uma das “mais exportadoras do país”, acrescentando que “a economia deve estar adaptada ao mundo como ele é” tendo em conta que “as empresas são o motor de crescimento e geradoras de emprego”.
Outro assunto que Paulo Portas abordou foi o turismo, lembrando que “2013 foi o melhor ano turístico de sempre em Portugal” e segundo dados já obtidos “em 2014 Portugal está acima desses valores”. O vice-primeiro-ministro considera, por isso, “o turismo como uma alavanca do crescimento económico do país”, acrescentando que a “economia portuguesa está a crescer” e que “se Portugal fizer as opções certas hoje estaremos melhor hoje e daqui a um ano”.
A terminar, Paulo Portas deixou duas boas notícias para as famílias: o “primeiro aumento do salário mínimo nacional” e “em 2015 teremos pela primeira vez um IRS que leva verdadeiramente em conta os descendentes que as famílias têm”, ou seja “um IRS mais amigo das famílias”. Além disso, anunciou ainda “o reembolso do IVA para os pequenos agricultores”.

segunda-feira, 24 de Novembro de 2014

Pataiense desce ao último lugar

O CD Pataiense foi derrotado por 1-2 da receção ao GDRC Unidos.
Com esta nova derrota, a equipa desceu ao último lugar com apenas 3 pontos (8J;3E5D;6-18).
Mais informações em: http://futeboldistritaldeleiria.pt/resultados/divisao-honra/

domingo, 23 de Novembro de 2014

sexta-feira, 21 de Novembro de 2014

Universidade Sénior de Pataias na Rádio Cister


Pataias tem o Centro de Treinos de arbitragem de futsal

A notícia na edição 1109 do Região de Cister de 20 de novembro

Futsal: Pataias ganha centro de treino de arbitragem

Foi criado um centro de treinos de arbitragem de futsal no Pavilhão Gimnodesportivo de Pataias. A medida, que tem o apoio do Conselho de Arbitragem da FPF, da AF Leiria e da União de Freguesias de Pataias e Martingança, visa melhorar a formação física e técnica dos árbitros. O Centro de Treinos vai funcionar às segundas e quartas-feiras e terá como responsáveis Nuno Mendes (técnico de arbitragem) e José Dias (preparador-físico e coordenador).

quinta-feira, 20 de Novembro de 2014

EB2,3 de Pataias receberá escolas do 1º ciclo

A notícia da não construção do novo centro escolar de Pataias, agora na edição 1109 do Região de Cister de 20 de novembro de 2014

Pataias - ampliar EB2/3 é solução
Câmara abdica da construção do Centro Escolar

A Câmara de Alcobaça abdicou da construção do Centro Escolar de Pataias, nos moldes em que tinha sido prometido pelo antigo presidente da Câmara de Alcobaça, Gonçalves Sapinho, e que estava previsto para o terreno onde decorre o mercado semanal. Neste momento, face às restrições dos fundos comunitários, a autarquia pondera ampliar a EB2/3, permitindo, assim, que naquele estabelecimento de ensino se recebam os alunos que frequentam o 1.º ciclo.
A explicação foi dada por Paulo Inácio, presidente da Câmara de Alcobaça, na última reunião pública, depois de o vereador Rogério Raimundo ter questionado o executivo sobre o processo, recordando que a CDU sempre contestou a localização escolhida para a construção do Centro Escolar junto às Piscinas Municipais de Pataias.
Após reuniões com a União de Freguesias de Pataias e Martingança, a Câmara de Alcobaça optou por repensar todo o processo e ponderar a ampliação da EB2/3 como alternativa. “As restrições impostas pelo futuro quadro comunitário não nos dá grandes alternativas”, explicou Paulo Inácio.
Se a ampliação acontecer, além de garantir-se as crianças e jovens na freguesia, a EB2/3 passará a receber alunos dos 1.º aos 9.º anos.

terça-feira, 18 de Novembro de 2014

Uma verdadeira política natalista

Quando se fala do envelhecimento da população e das políticas incentivadoras à natalidade.
Quando se faz uma gestão autárquica a pensar nas pessoas e não na contabilidade.
O exemplo de uma política (de longo-prazo) de sucesso, que (apesar de integrada numa região demograficamente jovem e próxima de uma grande urbe como o Porto) reforça a evidência da importância e da eficácia de governar para as pessoas, numa perspetiva de longo prazo e não de compromissos eleitoralistas efémeros.
Quanto a Pataias, apresenta um índice de envelhecimento de 158,5%, muito semelhante ao do concelho de Alcobaça, e um crescimento demográfico insignificante.
Curioso é ver como se faz noutros locais, com os apoios autárquicos à educação e ao desporto (música e natação, por exemplo), a gestão da água e o controlo sobre os preços da mesma, a especulação imobiliária, a derrama e o imi.
É tudo ao contrário do que se faz por cá...

A notícia no jornal Público
http://www.publico.pt/sociedade/noticia/sair-de-lousada-seria-como-trocar-um-ferrari-por-um-ford-1676517?page=-1

“Sair de Lousada seria como trocar um Ferrari por um Ford”
Lousada é no mapa português o concelho com mais jovens. São 32,5% dos cerca de 47 mil habitantes. O segredo? A qualidade de vida, a recusa da especulação imobiliária e os incentivos fiscais às empresas que garantem o emprego.

Não tem shoppings nem universidade e muito menos cheques-bebé. Mas tem a população mais jovem do país. O que contribui para que Lousada cresça e rejuvenesça num país cada vez mais pequeno e grisalho? “O sentimento”, respondem os habitantes. E a tradição industrial impulsionada por uma “política fiscal simpática”, precisa o presidente da câmara.
Esqueçam os cheques-bebé. “Nunca perdemos energias com esse tipo de fait divers”, introduz o autarca socialista, Pedro Machado. “Ninguém tem um filho por receber um cheque. É uma medida populista. Se conseguirmos oferecer qualidade de vida à população, essas coisas acontecem naturalmente”.
O bebé de Hugo Santos, jogador de hóquei (o desporto-emblema da terra que mobiliza mais de uma centena de atletas locais e já granjeou vários títulos internacionais para Lousada) e professor daquela modalidade nas Actividades de Enriquecimento Curricular (AEC), foi feito em Inglaterra e vai nascer em Lousada. E, para a felicidade do casal, nunca contou qualquer incentivo financeiro momentâneo. O ter emprego, sim.
“Eu e a minha esposa éramos professores nas AEC mas não ficamos colocados. Decidimos arriscar lá fora”. Foi um ano a viver a três horas de Londres. Ele numa empresa de comida pre-confeccionada, onde já lhe acenavam com um curso de chefe, ela como assistente de pessoas com deficiência. “Mas a nossa casa estava aqui. Logo que percebemos que as coisas aqui estavam a melhorar, decidimos voltar”.  
Garantido o emprego, Hugo Santos, 35 anos, só contabiliza ganhos. “Faltavam-nos a comida, o vinho de Lousada. A paz que aqui temos, a segurança, a possibilidade de deixarmos os miúdos andar na rua sem problemas”. E, claro, o hóquei. “Temos instalações brutais para a prática do hóquei, os melhores atletas, títulos a nível europeu. O hóquei em Lousada é sinónimo de vitória”, enfatiza, para concluir: “Sair daqui seria a mesma coisa que trocar um Ferrari por um Ford”.
O sucesso desportivo, que tem levado várias selecções a estagiar em Lousada, já abriu o apetite do investimento privado. “Nasceu ao lado do complexo desportivo um hotel rural, que era uma das lacunas que tínhamos”, anuncia o presidente da câmara. De resto, toda a economia local parece em claro contraciclo com a depressão à escala nacional. Há empresas novas a nascer em Lousada. Na área do calçado, mas também da têxtil”. A marca kispo que fez furor na década de 70 nasceu na vila. “A marca está cá e vai agora ser outra vez dinamizada. O dono é dos maiores empregadores da região”. Outra marca de referência é a Famo, na produção de mobiliário de escritório.

Um contexto particular
Antes de continuarmos, o contexto. Entre os 47.500 habitantes de Lousada (que não é cidade, é vila, e não perde tempo a queixar-se disso) 32,5% têm menos de 25 anos – a média nacional é 26%. E o peso dos idosos com 65 ou mais anos de idade não passa dos 11%, ou seja, metade da média do país. Temos assim que este concelho de 96 quilómetros quadrados de área, comprimidos por todos os lados pelos concelhos limítrofes de Felgueiras, Amarante, Penafiel, Paços de Ferreira, Vizela, Paredes e Santo Tirso, se assume no mapa como tendo apenas 61,4 idosos por cada 100 jovens quando, no todo nacional, a média é de 129,4 idosos por cada 100 jovens. 
Quem, como o geógrafo Jorge Malheiros, estuda há anos as dinâmicas populacionais na sua relação com o território arrisca algumas explicações. “Há nesta região uma componente cultural, com uma forte influência religiosa, que faz com que tenha levado mais tempo a adoptar o modelo de família nuclear, com mãe, pai e filho”. Por outro lado, “divórcios e rupturas familiares levaram mais tempo a chegar”. O que faz com que “o sistema de economia familiar e doméstica e a proximidade entre casa e trabalho e a casa de uns e de outros familiares permitam que as mulheres tenham mais filhos sabendo que têm quem cuide deles”.
E há claro, “a indústria e a pequena propriedade que permite que as pessoas vão tendo vinho, couves, animais domésticos para consumo”. E a proximidade geográfica com a área metropolitana do Porto. Tudo somado, e mesmo agora que o declínio da fecundidade não tem poupado nenhuma zona do país, “Lousada continua a beneficiar do facto de, fruto dessa herança, ter mais população em idade fértil”, arrisca ainda Malheiros.
A dinamização da economia que prende as pessoas à terra não caiu do céu. “Há 20 anos, éramos o segundo concelho do país com maior taxa de abandono escolar. Os miúdos saíam cedo da escola para ir trabalhar, uma realidade vergonhosa que punha em causa o futuro do concelho”, recorda Pedro Machado. A aposta começou na educação. “Quando o anterior Governo determinou a obrigatoriedade das AEC elas já existiam em Lousada há 15 anos”.
A natação e a aprendizagem da música fazem-se sob impulso municipal. E já há lousadenses a tocar piano em Moscovo. Recupere-se então o que disse João Xavier, prémio 2001 do concurso de Jovens Músicos da Fundação Calouste Gulbenkian, ao semanário local Verdadeiro Olhar: “O único entrave de viver em Lousada é ter de me deslocar ao Porto para ver concertos”.

Moderação nos impostos
A “centralidade invejável” (Lousada está a 25 minutos do Porto por auto-estrada) ajuda a que este seja, a seguir a Felgueiras, o concelho com menor desemprego no país: 7,9%. “Nunca houve em Lousada lançamento da derrama e isso foi um incentivo para muitos empresários. Dependendo do número de postos de trabalho criados, os empresários poderão também ver reduzido ou ficar isentos do pagamento do  Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis (IMT) durante cinco anos.
A nível habitacional segue-se o mesmo princípio. O IMI anda perto dos mínimos permitidos por lei, devendo descer para os 0,35% já em 2015. “As taxas urbanísticas sempre foram muito controladas. Nunca houve da parte da câmara nenhum contributo para a especulação imobiliária”. O resultado é que a habitação é mais barata em Lousada dos que nos concelhos limítrofes. “Isso foi determinante, porque há jovens casais que, por força de a habitação ser mais barata, decidem instalar-se cá”. Ao nível da água e do saneamento, idem aspas. “Nunca abdicámos destes serviços. Era tentador. Chegaram a oferecer-nos 25 milhões de euros para entregarmos a água e o saneamento a privados e metade era pago à cabeça, o que daria para liquidarmos toda a nossa dívida e para fazer grandes obras e grandes festas. Nunca cedemos. E foi isso que nos permitiu congelar as tarifas durante três anos consecutivos”.
Nada disto está presente na cabeça dos jovens que se abrigam da chuva à porta do Mac LowCost, o café que fica defronte da escola secundária. Mas o que é facto é que, ao contrário do que mostram alguns inquéritos nacionais que apontam a emigração como algo que os jovens começam a encarar como uma inevitabilidade, nenhum se projecta a viver no futuro fora de Lousada. “Viver fora daqui?!”, começa por reagir Cristina Soares, 16 anos, à pergunta do PÚBLICO, para continuar no mesmo tom quase indignado: “De maneira nenhuma. Nasci aqui, cresci aqui. Até posso ter de ir estudar para fora mas volto. É a minha terra. Lousada tem tudo para mim”.

segunda-feira, 17 de Novembro de 2014

Câmara de Alcobaça deixa cair novo Centro Escolar de Pataias

A notícia na edição on-line do Tinta Fresca
http://www.tintafresca.net/News/newsdetail.aspx?news=be18318c-bece-494c-8a98-04fed917da28&edition=169

Futuro do ensino em Pataias deve passar pela ampliação da EB2/3
Câmara Municipal de Alcobaça deixa cair projeto do centro escolar de Pataias

O Município de Alcobaça pode deixar cair o projeto de construção do Centro Escolar de Pataias. A informação foi avançada por Paulo Inácio na reunião de Câmara, depois do vereador Rogério Raimundo (CDU) ter questionado o Executivo sobre o processo. O autarca assumiu pela primeira vez que a solução, em concordância com a junta de freguesia, e após conhecidas as restrições aos fundos comunitários, pode passar pela ampliação da atual EB2/3, permitindo que ali se estabeleça também o ensino do 1º Ciclo. A CDU, que sempre contestou a localização do Centro Escolar junto às piscinas municipais de Pataias, questionou o executivo sobre o processo, por considerar que de uma vez por todas deve decidir-se qual o futuro dos alunos daquela parte do concelho. 
Paulo Inácio explicou aos presentes que “as restrições impostas pelo futuro quadro comunitário” levam a que seja difícil implementar um projeto de construção de um Centro Escolar de raiz, pelo que a situação já foi discutida com a Junta de Freguesia local, que se mostrou aberta a esta alternativa. Desta forma, a Escola Básica de Pataias passaria a receber alunos desde o primeiro até ao nono ano de escolaridade. 
Paulo Inácio que espera garantir desta forma o apoio do Governo, garantiu ainda que esta será uma forma de manter os jovens da freguesia a frequentar a escola em Pataias, em detrimento de concelhos vizinhos.

Comentário

Há promessas de 6 (seis) milhões de euros de investimento para Pataias, feitas por Paulo Inácio.
Com este abandono da construção do novo centro escolar (uma boa decisão, ideia racional e lógica na perspetiva de uma boa gestão de recursos), seguem-se algumas dúvidas:
Pataias não pode continuar à espera (mais não sei quantos anos) de saber se vai ou não ser construído/ampliado, e em que condições, o novo centro escolar. A Câmara Municipal TEM de assumir o compromisso, preto no branco, de dizer o que vai fazer, e quando, de uma vez por todas, em vez de andar a empurrar o assunto com a barriga e a adiar sine dia qualquer e todo o investimento que se refira ao norte do concelho.
Paralelamente, há outras questões associadas ao novo Centro Escolar, como o novo mercado e a "cidade desportiva", incluindo a desafetação para esses efeitos de parte da Alva de Pataias. Qual será o futuro desses projetos?
E já agora, mas não com menos importância, por serem também promessas de Paulo Inácio, como está o processo da Zona Industrial de Pataias e a requalificação da Avenida Rainha Santa Isabel?
Quanto à frequência das escolas do concelho por parte dos alunos de Pataias, talvez a mesma fosse maior se os pataienses se sentissem acarinhados por uma Câmara que constantemente os relega para segundo plano e passa mandatos consecutivos a prometer sem cumprir.

Pataiense volta a perder

O CD Pataiense foi derrotado por 0-1 na deslocação até ao terreno do Vieirense.
Com esta derrota, a equipa desceu ao último lugar, somando apenas 3 pontos (7J;3E4D;5-16).
Na próxima jornada, dia 23, recebe o GDR Cultural Unidos, apenas com mais um ponto na tabela classificativa.
Mais informações em: http://www.zerozero.pt/edition.php?id_edicao=71798&fase=72241&jornada_in=8

domingo, 16 de Novembro de 2014

Burinhosa derrotada na Luz mantem 4º lugar

O CCRD Burinhosa foi derrotado por uns expressivos 1-7 na deslocação ao pavilhão da Luz.
Apesar da derrota, a equipa manteve o 4º lugar , com 16 pontos (10J;5V1E4D;29-34) em igualdade pontual com os Leões de Porto Salvo e a 12 do líder Benfica.
Na próxima jornada, dia 22, rece o 7º classificado Cascais.
Mais informações em: http://www.zerozero.pt/edition.php?id_edicao=70875

sábado, 15 de Novembro de 2014

Plano Municipal de Emergência - Consulta Pública

A notícia na edição 1108 do Região de Cister de 13 de novembro de 2014

Alcobaça - Durante 30 dias
Plano Municipal de Emergência está em consulta pública

A Câmara de Alcobaça informou que está em consulta pública, pelo período de 30 dias, as componentes não reservadas do Projeto de Plano Municipal de Emergência, aprovado por deliberação tomada pela Comissão de Proteção Civil do Concelho de Alcobaça, no passado dia 22 de outubro.
Para além do site municipal, a consulta poderá ser feita na Secção Administrativa e de Modernização da Câmara Municipal de Alcobaça e no Gabinete de Proteção Civil da Câmara Municipal de Alcobaça, de segunda a sexta-feira, das 9 às 12:30 horas e das 14 às 17:30 horas.
Os contributos deverão ser entregues, por escrito, diretamente no Gabinete Municipal de Proteção Civil da Câmara Municipal de Alcobaça, ou mediante envio por correio registado ou ainda por email.

sexta-feira, 14 de Novembro de 2014

SL Benfica-Burinhosa na BenficaTV

Dia 15 de Novembro (amanhã, sábado), o jogo Benfica x Burinhosa para campeonato Nacional de Futsal , Liga SportZone,  será transmitido em directo na Benfica TV 1 a partir das 16:25h.

Presidente da Junta de Pataias quer liderar PSD de Alcobaça

A notícia na edição 1108 do Região de Cister de 13 de novembro de 2014

Alcobaça - deputado quer suceder a João Paulo Costa
Valter Ribeiro assume candidatura ao PSD

O deputado Valter Ribeiro mostrou-se disponível para avançar para as eleições na Concelhia de Alcobaça do PSD, que foram marcadas para 12 de dezembro. O também presidente da União das Freguesias de Pataias e Martingança revelou na última reunião da Comissão Política que pretende suceder a João Paulo Costa, o qual resolveu afastar-se da liderança local do partido após quatro anos.
Em declarações ao REGIÃO DE CISTER, Valter Ribeiro, que foi vice-presidente da Concelhia nos últimos anos, diz pretender “dar continuidade ao trabalho desenvolvido pelo partido”, mas pretende dissipar “a ideia que transpareceu, ao longo dos últimos anos, de o partido se confundir com a Câmara”. “Entendo que não deve ser assim. O PSD tem de ajudar a Câmara, mas pode haver diferenças de opinião e isso acontecerá sempre apenas com o intuito de melhorar o trabalho que se faz”, frisou o deputado, que pretende ter um PSD “mais próximo das populações e das freguesias”.
Na hora da saída, João Paulo Costa salienta sempre ter tido a “intenção cumprir dois mandatos à frente dos destinos do PSD/Alcobaça”. “Entendo que as pessoas não devem estar agarradas aos lugares. Há mais vida para além da presidência do partido”, salientou o chefe de gabinete do presidente da Câmara, que fala de quatro anos “extremamente positivos acompanhados por um ciclo de vitórias do PSD, tanto a nível nacional, como a nível local”.
“No âmbito autárquico e para a Câmara Municipal, de salientar que obtivemos, praticamente, o dobro dos votos em relação à segunda força partidária mais votada. Foi uma vitória clara e esclarecedora”, frisou João Paulo Costa, que viu, no entanto, o PSD perder a maioria absoluta no executivo municipal. O segundo mandato de João Paulo Costa culminou com as comemorações dos 40 anos da fundação do partido, com a presença de Marcelo Rebelo de Sousa, e o lançamento do livro sobre a história do partido.

Pisões - Festival de sopas

A notícia na edição 1108 do Região de Cister de 13 de novembro de 2014

Pisões
Igreja dos Pisões recebe no domingo 3.º Festival de sopas e magusto

A Igreja dos Pisões recebe o 3.º Festival de sopas e magusto. O evento decorre no próximo domingo, a partir das 13 horas. Haverá castanhas assadas, água-pé, sobremesas, bifanas, pão com chouriço, café d’avó e fritos de S. Sebastião.

quinta-feira, 13 de Novembro de 2014

Universidade Sénior de Pataias é destaque na imprensa regional

A reportagem na edição de 13 de novembro do jornal "O Alcoa"

A informação no site do jornal "O Alcoa"
http://www.oalcoa.com/universidade-e-um-sucesso-junto-dos-seniores/

Universidade é um sucesso junto dos séniores

A Universidade Sénior de Pataias arrancou no dia 13 de outubro, sendo que, à data da apresentação, a 28 de setembro, já havia cerca de 40 inscrições. “Neste momento, temos 85 alunos e todos os dias vem mais alguém”, garante Fátima Mota, membro da comissão instaladora, responsável pela Biblioteca/Espaço Cultural, onde decorrem as aulas, e professora de Filosofia.
“Não estávamos à espera que corresse tão bem”, confessa Fátima, “mas as pessoas estão muito interessadas em recordar o que já tinham esquecido e em aprender novas coisas”.
“Tivémos que fazer cinco turmas, temos 60 pessoas na minha disciplina”, adianta, por sua vez, Agnelo Ferreira, também membro da comissão instaladora e professor de Informática.

(Saiba mais na edição em papel de 13 de novembro de 2014)

Semana da Saúde da Mulher está a terminar

A notícia na edição 1108 do Região de Cister de 13 de novembro

Pataias - rastreios decorrem até amanhã
Unidade de Saúde Familiar dedica semana à mulher

A Unidade de Saúde Familiar (USF) Pinhal Rei, em Pataias, apresenta até amanhã a ‘Semana da mulher’. Estão a ser realizados, desde segunda-feira, rastreios de prevenção e combate ao cancro do colo do útero. A iniciativa dirige-se a todas as mulheres com idade compreendida entre os 18 e os 59 anos.
As mulheres interessadas em fazer o rastreio devem proceder à respetiva marcação na secretaria da USF ou pelos números 244 585 090 e 244 585 093.
Hemorragia vaginal anormal, aumento do corrimento vaginal, dor pélvica e dor durante as relações sexuais são alguns dos sintomas a que deve estar atenta. Se tem alguns destes sintomas, deve consultar o seu médico.

terça-feira, 11 de Novembro de 2014