Para sugestões, comentários, críticas e afins: sapinhogelasio@gmail.com

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Assembleia de Freguesia de Pataias e Martingança

Assembleia de Freguesia da União de Freguesias de Pataias e Martingança no próximo dia 30 de abril (5ª feira), pelas 21h no auditório dos Bombeiros Voluntários de Pataias.

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Debate - Caminhos para o futuro


O Espaço Cultural/ Biblioteca de Pataias é o responsável pelo encontro "Caminhos para o futuro - ofertas educativas para o ensino secundário e superior".
A iniciativa decorrerá no próximo dia 19 de maio (3ª feira) pelas 21h30 e contará com a presença dos diretores do Instituto Politécnico de Leiria, do CENFIM - Centro de Formação da Indústria de Moldes, da Escola Profissional da Nazaré e do Agrupamento de Escolas de Cister.
A temática do encontro será a oferta formativa para o ensino secundário e superior disponível na região. As ofertas educativas disponíveis, do ensino secundário regular aos percursos profissionais e a oferta de ensino superior disponível.
A não perder, para pais e alunos do básico e secundário.

Burinhosa - Encontro de Traquinas (futsal)


quinta-feira, 23 de abril de 2015

Sarau - Espetáculo de música, canção, poesia e fado


O Espaço Cultural/ Biblioteca de Pataias vai promover no próximo dia 8 de maio (6ª feira) pelas 21h30 um espetáculo com música, poesia, canto e fado. O espetáculo será no auditório dos Bombeiros Voluntários de Pataias, com artistas da região.
O preço de entrada é simbólico, pedindo o Espaço Cultural como "bilhete de entrada" que seja entregue um livro (qualquer livro: novo, usado, para crianças, romance, de qualquer tipo), de forma a aumentar a oferta pública de leitura.

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Universidade Sénior de Pataias - Carta Aberta à Junta da União de Freguesias de Pataias e Martingança

Universidade Sénior de Pataias – Carta Aberta à Junta Da União de Freguesias de Pataias e Martingança

A Universidade Sénior de Pataias é, sem sombra de dúvidas, a obra social de maior impacto concretizada por esta Junta da União de Freguesias de Pataias e Martingança. É de realçar, numa época de parcos recursos, o esforço em transformar as instalações do edifício dos antigos Bombeiros Voluntários de Pataias em salas condignas para a formação, com condições equivalentes a muitas escolas públicas, no que se refere a materiais, computadores, redes wi-fi, por exemplo. Nem tudo estará bem, mas ao longo do ano, umas vezes de forma mais célere, outras nem tanto, todas as questões colocadas pelos professores e alunos (ou pelo menos aquelas que tive conhecimento) foram resolvidas.
A consequência deste esforço por parte da autarquia resulta num conjunto de população que viu subir a sua auto-estima, encontrou motivação e novos objetivos, compreendeu que a idade não é um factor limitante para aprender coisas novas, reduziu a medicação e os anti-depressivos e que fez da Universidade Sénior um segundo lar. Atualmente, Pataias podia passar sem a Universidade Sénior? Podia (se calhar…), mas não era a mesma coisa.

Este primeiro ano da Universidade Sénior de Pataias é uma aprendizagem contínua para todos: Junta, Comissão Instaladora, Professores, Alunos, sociedade. Num processo assim, faz todo o sentido fazer uma avaliação, uma aferição do funcionamento e das necessidades para que no próximo ano letivo as coisas funcionem melhor e sejam encontradas respostas às necessidades apontadas.
Neste sentido, o questionário que a União de Freguesias de Pataias e Martingança fez chegar aos alunos e professores, é na sua maioria perfeitamente inadequado e inapropriado, e em certos pontos, até ofensivo.
Começa pelas próprias classificações a atribuir: “Excelente”, “Razoável”, “Suficiente”, “Insuficiente”. Qual é a diferença entre o “Razoável” e “Suficiente”? Não há “Bom”?
O modelo de questionário apresentado não cria respostas sobre as necessidades e caminhos a trilhar de forma a melhorar o funcionamento da instituição mas avalia individualmente cada um dos atores (professores, alunos) que de forma livre, desinteressada e voluntária se disponibilizaram a participar neste projeto.
O questionário não permite perceber o que correu mal, menos bem ou até muito bem. Não permite retirar sugestões de funcionamento e de disciplinas para o futuro. Não aborda a possibilidade de aumentar o custo da propina ou a introdução de professores pagos (assunto que gerou polémica durante o ano). Ou seja, relativamente ao futuro: NADA.
O questionário está ainda desfasado da realidade do que é um projeto de voluntariado e da realidade de uma Universidade Sénior. Uma Universidade Sénior não é um projeto formal de aprendizagem e formação. 
Qual é o objetivo de pedir aos professores que classifiquem os alunos, avaliando as respetivas competências nos domínios da comunicação, da motivação, capacidade de aprendizagem, relacionamento interpessoal e dinâmica de grupo? É a negação absoluta do ideal e objetivos de uma Universidade Sénior. Quando a maior conquista da Universidade Sénior é o crescimento da autoestima individual de cada um dos alunos, qual é o objetivo de estar a rotulá-los como “Excelente”, “Suficiente”, “Razoável”, “Insuficiente”? Pessoalmente, numa turma de oito alunos, como os classificaria a todos (o que me recuso a fazer) se apenas existe um espaço disponível e comum? Estar a pedir para classificar pessoas, na sua maioria com uma baixa escolarização e alguns deles efetivamente analfabetos é descabido e desumano. Pessoas que já se encheram de coragem em frequentar as aulas e cujo primeiro comentário à ideia era: «Já sou muito velho(a). O que é que eu vou lá fazer? Não sou capaz de aprender». O que interessa à Junta a qualidade das aprendizagens de cada um dos alunos da Universidade Sénior? Alunos que lutaram contra o preconceito do analfabetismo, da iliteracia, da baixa escolarização e da idade, serão agora, em alguns casos, rotulados com o que não sabem ou não conseguem fazer? É esse o objetivo desta Universidade Sénior?
Pedir aos professores, que se ofereceram, disponibilizaram, propuseram, idealizaram e concretizaram os programas e conteúdos das suas disciplinas, para se pronunciarem sobre o interesse dos temas e a utilidade e desenvolvimento das matérias parece uma brincadeira de mau gosto. Questionar os alunos sobre os mesmos temas, alunos que podem inscrever-se, desistir, experimentar, assistir a aulas “a vulso” é, no mínimo, estranho. A pertinência dos conteúdos e das disciplinas pode ser vista pela frequência e inscrição dos alunos nas mesmas. Mais, se há alguém disposto a ensinar uma disciplina, e se há alguém disposto a aprendê-la, não será isso suficiente para justificar a sua existência?
Há ainda a questão da avaliação individual de cada professor. A distribuição de um questionário, não por aluno inscrito na universidade, mas a cada aluno inscrito em cada disciplina (o que significa que cada aluno responderá a 3, 4, 5 ou mais), só pode significar o interesse da Junta de Freguesia em avaliar cada professor. Avaliar os professores em parâmetros como a capacidade de comunicação, relacionamento interpessoal, assiduidade e pontualidade. Junta de Freguesia que parece desconhecer que de entre os professores haja profissionais com 20 anos de experiência em salas de aula, formadores ou outras pessoas para quem esta é primeira experiência de ensino. Pedir a avaliação, nestes moldes, de alguém que pela primeira vez leciona, que acredita neste projeto e que também está num processo de aprendizagem, que não sabia o que é dar uma aula, o que é um programa e qual o melhor método/ estratégia de ensino, é cruel. Humilhante, até. Parece claramente uma atitude pidesca/estalinista sobre todos os professores e o seu controle por alguém (Junta de Freguesia) que está a beneficiar do seu trabalho, empenho, disponibilidade voluntária e voluntariosa, de forma GRATUITA. A mesma Junta que parece não ter capacidade para controlar alguns trabalhadores que, esses sim, constam da sua folha de pagamentos.
Só me dá vontade de perguntar: o que vão fazer com os resultados deste questionário, no que a mim me diz respeito: vão-me despedir ou vão-me pagar?

Não estou para aturar isto.

Assembleia Municipal

Sessão solene do 25 de abril
Sábado, dia 25 de abril, pelas 15h30 no auditório da Biblioteca Municipal.

Sessão ordinária de abril
Quarta-feira, 29 de abril, pelas 20h30 no auditório da Biblioteca Municipal.

domingo, 19 de abril de 2015

Pataiense derrotado pelo lanterna vermelha

O CD Pataiense foi copiosamente derrotado por 0-4 na deslocação ao terreno do Portomosense, último classificado.
A equipa de Pataias mantém o 15º e penúltimo lugar com 19 pontos (25J;4V7E14D;20-52), a sete dos lugares que garantem a permanência.
Mais informações em: http://www.zerozero.pt/edition.php?id_edicao=71798

sábado, 18 de abril de 2015

Burinhosa termina em 7º lugar

O CCDR Burinhosa terminou a fase regular do campeonato nacional de futsal na sétima posição, com 34 pontos, confirmando assim a entrada no play-off final.
Na última jornada, a equipa deslocou-se até ao recinto do Modicus onde perdeu por 1-5. Com este resultado, a equipa baixou ao 7º lugar (26J;9V7E10D;74-89). No play-off, irá defrontar o segundo classificado, o Sporting de Braga.
Os jogos do play-off estão assim alinhados: Benfica - Leões de Porto Salvo; Sporting de Braga - Burinhosa; Sporting - Modicus; Olivais - Fundão.
Mais informações em: http://www.zerozero.pt/edition.php?id_edicao=70875

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Mercedes e Mcnamara gravam anúncio nas praias de Pataias

A notícia em: http://www.regiaodecister.pt/pt/noticias/mcnamara-grava-anuncio-nas-praias-de-pataias

McNamara grava anúncio nas praias de Pataias

Foi sobre Vale Furado e Polvoeira que recaiu a escolha das praias, entre Peniche e Figueira da Foz, onde foram rodadas as filmagens do anúncio do novo todo-o-terreno da Mercedes, que decorreram na passada segunda-feira.
Garrett McNamara, que surfou ondas de grande dimensão no Canhão da Nazaré, é o rosto do anúncio. As filmagens desenrolaram-se por duas partes: no areal da Polvoeira e numa casa de Vale Furado. O aparato criado em torno das filmagens, que contaram com o apoio logístico da União de Freguesias de Pataias e Martingança,  atraiu largas centenas de pessoas àquelas duas praias.
Eram 4 horas quando começaram a chegar as carrinhas da produção – mais de 30. Cerca de 40 profissionais começaram a preparar o equipamento necessário para as filmagens. Mais tarde, o surfista chegou e recebeu as indicações por parte da produção. McNamara foi filmado a sair do mar no meio de uma tempestade criada com efeitos especiais (lâmpadas a partirem e água a ser projetada pelos bombeiros de Pataias).
Valter Ribeiro, presidente da União de Freguesias de Pataias e Martingança, acredita que “o anúncio pode ajudar a promover as praias da freguesia”.

terça-feira, 14 de abril de 2015

Ferraria - eletrocutado ao roubar cobre

A notícia em: 
http://www.cmjornal.xl.pt/nacional/detalhe/sofre_queimaduras_graves_ao_tentar_roubar_cabo_eletrico.html

Sofre queimaduras graves ao tentar roubar cobre 

Homem de 38 anos estava a furar um cabo da EDP em Alcobaça.
Um homem sofreu esta terça-feira queimaduras graves por eletrocussão em cerca de 40% do corpo, informou a GNR, adiantando suspeitar que estaria a tentar furar um cabo elétrico em Ferraria, na freguesia de Pataias, no concelho de Alcobaça. "A indicação que temos é que o homem já estaria no local desde as 06h00 e que terá sido eletrocutado por volta das 08h00 quando se encontrava em cima do poste [da EDP] e que foi eletrocutado quando tentava cortar o cabo", disse à agência Lusa fonte da GNR de Leiria. O homem, de 38 anos, é morador na zona de Pataias e "já estava referenciado" pela GNR, suspeitando as autoridades de que possa ser "reincidente neste tipo de crime" sendo ainda indiciado por crimes de posse e tráfico de estupefacientes". Queimaduras de 1.º e 2.º grau O homem foi encontrado pelos bombeiros de Pataias "junto a um muro ao lado do poste da EDP", com queimaduras "de primeiro e segundo grau no rosto, tronco e membros superiores e inferiores", afirmou Micael Pereira, adjunto do comando da corporação. O homem foi assistido no local pela equipa da VMER (Viatura Médica de Emergência e Reanimação) do Hospital de Leiria, para onde a vítima foi transportada em "estado grave". De acordo com a GNR as queimaduras "estendem-se a 40% do corpo do homem" que, ao final da manhã, foi transferido para o Hospital de Coimbra. O alerta para os bombeiros foi dado às 08h00 e no local estiveram quatro viaturas e oito operacionais dos bombeiros de Pataias, da VMER e da GNR. O caso está a ser investigado pelo Núcleo de Investigação Criminal da GNR das Caldas da Rainha. Suspeito identificado pela GNR A GNR identificou como suspeito de furto de cobre o homem que hoje sofreu queimaduras graves ao tentar cortar um cabo da EDP em Pataias, Alcobaça, e apreendeu diverso material relacionado com o crime. O homem, de 38 anos, foi identificado "após uma denúncia telefónica por corte em cabo da rede pública na localidade de Pataias" efetuada às 07h48 para o posto local da GNR, explica um comunicado enviado às redações. O suspeito, que apresentava queimaduras de primeiro e segundo grau, provocadas por eletrocussão, foi transportado para o Hospital de Leiria e a GNR apreendeu no local "diverso material, suspeito de estar relacionado com o crime tentado", nomeadamente luvas de borracha, uma serra de ferro, um alicate de corte, um x-ato, luvas de pedreiro, uma chave inglesa, uma chave de fendas e um metro de fio de cobre. A GNR elaborou um auto de notícia que foi enviado ao tribunal.

Concurso público – defesa longitudinal aderente de Paredes da Vitória

Publicado a 10 de abril, encontra-se aberto até ao dia 30 de Abril o Concurso Público para reforço da defesa longitudinal aderente de Paredes da Vitória. O valor da empreitada é de pouco mais de 450 mil euros e o prazo de execução das obras é de 120 dias.
A abertura de propostas está prevista para o dia 4 de maio.

O concurso público aqui:
https://drive.google.com/file/d/0B9vBNX61QGYLOE9JcUJXWHdudHM/view?usp=sharing

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Plano de desenvolvimento de Alcobaça

A notícia em: http://www.noticiasaominuto.com/economia/373974/plano-de-desenvolvimento-de-alcobaca-inclui-50-projetos

Plano de desenvolvimento de Alcobaça inclui 50 projetos

Cinquenta projetos, divididos por sete eixos de intervenção, integram o plano de desenvolvimento para o concelho de Alcobaça no âmbito do Quadro Estratégico Comum (QEC) 2014-2020, documento que prevê uma profunda intervenção no rio Alcoa.

O projeto estratégico para o concelho, apresentado à comunidade na sexta-feira à noite, define como eixos potenciais de intervenção o desenvolvimento industrial, agrícola e florestal sustentável e a economia do mar; a articulação da frente litoral, dos vales e da serra; a coesão territorial e social; o património histórico-cultural; o turismo; a sustentabilidade ambiental e a renovação da centralidade da cidade de Alcobaça, com a valorização do rio Alcoa.
O projeto dedicado ao rio Alcoa é transversal a todos os eixos e prevê a intervenção numa área de 900 hectares, ao longo de 17 quilómetros, visando a melhoria da qualidade da água e a eliminação dos focos de poluição, a valorização ambiental e paisagística do percurso do rio e a reabilitação do sistema hidráulico histórico cisterciense que o acompanha e que inclui a conduta de água potável e a levada.
Na visão do município, o desenvolvimento industrial e agrícola passará por projetos como a Área de Localização Empresarial da Benedita (ALEB), a definição do triângulo industrial Pataias--Martingança--Casal da Areia, a criação de um centro logístico de armazenamento de produtos agroalimentares em Alfeizerão e a criação de um centro de investigação e competências na área da fruticultura que "revitalize a Estação Nacional de Fruticultura de Vieira Natividade".
Ainda neste campo, o plano defende ações de desenvolvimento de zonas de regadio e de apoio à economia do mar "em pequena escala", potenciando a costa do concelho.
"Afirmar a cidade de Alcobaça como uma centralidade renovada e agregadora" é outras das prioridades, assente em ações que projetem a dimensão mundial do Mosteiro de Santa Maria (Património da Humanidade), a revalorização património e a construção de um parque verde na cidade que se encontra entre as que se podem candidatar a apoios para a regeneração urbana.
Embora o QEC 2014-2020 não permita candidaturas de regeneração urbana fora das sedes de concelho, o plano defende que se delimitem as áreas de regeneração urbana em Pataias--Martingança, S. Martinh--Alfeizerão e Benedita, uma vez que, segundo o presidente da Câmara, Paulo Inácio, "a visão [para o concelho] não se esgota neste quadro de apoio e há projetos para implementar a longo prazo".
Desenvolver o turismo e o lazer é outras das linhas orientadoras para a ação do município, que pretende dotar a cidade de um centro de boas vindas a turistas, reabilitar parques de campismo e reafirmar a importância de projetos como a construção de um hotel no mosteiro.

Pataiense afunda-se

O CD Pataiense perdeu por 1-3 na receção ao Moita do Boi.
Com este resultado, a equipa afundou-se na classificação (15º lugar;24J;4V7E13D;20-48), mantendo os 19 pontos e a 7 dos lugares que asseguram a permanência.
Mais informações em: http://www.zerozero.pt/edition.php?id_edicao=71798